quarta-feira, 19 de setembro de 2012

"No comboio descendente"

Inspiradas pelo poema de Fernando Pessoa um grupo de alunas, agora no 9º ano, 
recriaram-no à sua maneira.
Oiçam "No comboio descendente" cantado por Zeca Afonso e leiam as versões da Sonya, da Inês, da Cláudia e da Daniela.




No autocarro, em espiral,
Era uma verdadeira animação!
Uns estavam mal,
Outros a tocar-lhes o coração.
No autocarro, em espiral,
De Pombal ao Cardal…
                        
No autocarro, em espiral,
Vinham todos a falar:
Uns comentavam o que viam
E os outros só viam o tempo a passar.
No autocarro, em espiral,
Do Cardal a Tomar…

No autocarro, em espiral,
Mas que grande mal!
Uns dormiam
E os outros faziam que riam.
No autocarro, em espiral,
De Tomar a Pombal…

Sonya Basílio


No metro ascendente,
Ia tudo à gargalhada.
O João ia de pé,
A Maria ia sentada.
No metro ascendente,
O João ficou na capital,
A Maria seguiu para o Tramagal.
                                        
No metro ascendente,
Iam todos à janela.
A Joana foi  comprar uma panela,
E a Marisa visitar Palmela!
                                  
Inês Peixoto


Nos patins, em espiral,
Paras em Braga,
Paras em Santarém.
Vais alegre,
Assim te sentes bem!

Nos patins, em espiral,
Vais a Portimão
A deslizar por um corrimão.
Vais a Covilhã                       
A comer uma maçã.

Nos patins, em espiral,
Paras na festa de Beja
Para beber uma cerveja.
Sem lugar fixo,
Paras aqui,
Paras ali.

Nos patins, em espiral,
Vais de Lisboa ao Carrascal.


Cláudia Nunes


Em queda livre
Aí vou eu!

De Lisboa é a partida
De uma capital tão garrida!
Por Dublin, passei
E desta cidade gostei!
                     
Em queda livre
Aí vou eu!

Parei em Londres para descansar;
Por pouco não resolvi lá ficar!
Vi em Paris
O TGV, nos seus carris!

Em queda livre
Aí vou eu!
A Antiga Germânia visitei,
Para os monumentos da Alemanha olhei.
A Grécia era bela!
Até consigo vê-la da minha janela!

Em queda livre
Aí vou eu!

Em Itália,
Comprei uma sandália!
De regresso,
Pelo Egipto passo.

Em queda livre
Aí vou eu!
Volto até ao meu bom Portugal,
Que é tão especial!

Em queda livre
Aí vou eu!

(− Cuidado aí em baixo!!! )

Daniela Casimiro


1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar